" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dassault Mirage F1

Tipo: Caça de multiplo emprego
Fabricante: Dassault Aviation
Primeiro voo: 23 de Dezembro de 1966
Inicio do serviço: 1973
Primeiros usuários: French Air Force, Iraqi Air Force, Spanish Air Force e Royal Moroccan Air Force
Total produzidos: cerca de 720
Desenvolvido a partir: do Mirage III
Tripulação: 1 na versão de caça e 2 na versão de reconhecimento/ataque ao solo
Comprimento: 15.33 m
Envergadura: 8.44 m
Altura: 4.49 m
Area das asas: 25 m²
Peso vazio: 7,400 kg
Peso carregado: 11,130 kg
Peso máximo de decolagem: 16,200 kg
Motor: 1 SNECMA Atar 9K-50 com pós combustão
Velocidade máxima: 2,573 km/h a 11,000 m
Raio de combate: 425 km
Raio de alcance: 2,150 km
Altitude de serviço: 20,000 m
Razão de subida: 215 m/s
Armamento: Guns: 2 canhões de 30 mm DEFA 553 com 150 cartuchos por canhão, 8 casulos Matra com 18 foguetes de 68 mm SNEB cada, 4 misseis AIM-9 Sidewinders ou 2 Matra R550 Magics, 2× Super 530Fs, 2× AM-39 Exocets, 2× AS-30L e 6.300kg de bombas em cinco pontos externos para grande varidade de armamentos, pods de reconhecimento e tanques auxiliares.

O Mirage F1 é um caça de superioridade aérea e ataque ao solo, construído pela Dassault como o sucessor do Mirage III. Motorizado por um único turbojato Snecma Atar que fornece aproximadamente 7 toneladas de empuxo, mas de 700 F1s foram produzidos, se o desempenho em combate fosse usado como avaliação de qualidade, o Mirage F1 seria um dos melhores caças do mundo. Dos 10 países que o adquiriram, 6 empregaram-no em combate.
Conflitos que o Mirage F1 participou: na África do Sul durante a guerra de beira F1CZs derrubaram dois MiG-21s angolanos em 1981 e em 1982. Dois F1AZs foram perdidos sobre a Angola em 20 fevereiro de 1988, ao voar sobre um combóio foi abatido um missel SA-13 Gopher. Dois F1AZs e um único F1CZ foram danificados pela ação inimiga mas puderam retornar à base. Em 27 setembro de 1987, uma tentativa de interceptar dois MiG-23MLs cubanos um F1CZ foi danificado ou por um missel forçando a um pouso forçado ferindo o piloto. A Força Aréa Africana perdeu seis F1AZs e três F1CZs. Cerca de 30 Mirages F1CHs foram comprados pelo Marrocos em 1975, com as primeiras entregas em 1978. Foram usados em combate em 1979, causando a primeira perda em novembro 1979, devido a misseis anti aéreos SA-7. Em outubro de 1981, dois F1 foram derrubados pelos rebeldes com mísseis SA-6 e SA-9 doados pela Líbia, com pelo menos sete aviões abatidos e seis perdidos em acidentes entre 1979 e 1988, quando foi assinado um cessar fogo. A Força Aérea Equatoriana adquiriu os Mirage F1JAs entre Janeiro e Fevereiro de 1981 durante o breve conflito contra o Peru. Com tudo a Força Aérea Peruana possuia Mirages 5Ps e Sukhoi Su-22Ms fornecendo apoio naquela região. Em 1995, Mirages F1s e Kfir Equatorianos foram usados contra o Peru. Em 10 fevereiro 1995, dois Mirages F1JAs, abateram dois Su-22Ms peruanos, um Kfir e um A-37B Dragonfly. Os F1C da França foram usados na invasão da Líbia, tambem participaram da defesa dos Emirados Arábes e do Qatar, durante as Operações Escudo e Tempestade do Deserto. Armados com misseis Exocet F1EQ iraquianos afundaram e avariaram numerosos petroleiros no Golfo, nos anos 80. A Espanha utiliza 20 caças F1EE e 6 biplace F1BE, usados em patrulhas na Lituania e Mar Báltico a serviço da OTAN entre julho de 2006 a novembro de 2006, interceptando por duas vezes intrusos não revelados.

MIRAGE F1 FOTO 1,FOTO 2,FOTO 3,FOTO 4,FOTO 5,COCKPIT

sábado, 23 de maio de 2009

Northrop Grumman B-2 Spirit


Tipo: Bombardeiro invisível
País de origem: Estados Unidos
Fabricante: Northrop Grumman
Primeiro voo: 17 Julho de 1989
Inicio do serviço: Abril de 1997
Status: em serviço
Total produzido: 21
Primeiro usuário: apenas os Estados Unidos
Custo do programa: US$ 44.75 bilhões em 2004, custo por aeronave US$ 737 milhões
Tripulação: 2
Comprimento: 21.0 m
Envergadura: 52.4 m
Altura: 5.18 m
Aréa das asas: 478 m²
Peso vazio: 71,700 kg
Peso carregado: 152,200 kg
Peso máximo de decolagem: 170,600 kg
Motores: 4 General Electric F118-GE-100 sem pós combustão, com 7.800 kg de empuxo cada
Velocidade máxima: 972 km/h
Velocidade de cruzeiro: 870 km/h
Raio de ação: 11,100 km
Altitude de serviço: 15,200 m
Armamento: 2 porta bombas com capacidade para 23,000 kg, 80 bombas Mk-82 de 230kg cada, 36bombas tipo CBU de 340kg cada, 16 misseis de 900kg do tipo Mk-84, JDAM-84, JDAM-102 montados em lançadores rotativos e 16 bombas nucleares do tipo B61 ou B83.

O B-2 Spirit da Northrop é o avião mais caro jamais construido. Sua forma discreta e o uso de materiais que absorvem as emissões de radar permitem que ele ataque sem ser detectado pelo inmigo. Transportando armamento convencional e nuclear. Durante os anos 80 e o começo dos anos 90, os Estados Unidos encomendaram 132 bombardeiros, mas nos anos 90, o Congresso Americano, diminuiu para 21 bombardeiros devido ao seu alto custo, cerca de US$737 milhões. O custo total do programa, que inclui o desenvolvimento, engenharia e testes, chegaram a US$ 2.1 bilhões por avião. Vinte B-2s são operados pela Força Aérea dos Estados Unidos. Embora projetado originalmente, por causa da Guerra Fria, somente entrou em serviço nos anos 90, no conflito do Kosovo, seu mais recente uso foi na Guerra do Iraque e no Afeganistão. Um avião foi perdido durante a decolagem em 2008. Foi usado em atividades de espionagem e contra-espionagem.
O primeiro avião operacional, chamado de espirito do Missouri, foi entregado à base da Força Aérea de Whiteman, Missouri. O B-2 alcangou a capacidade operacional em 1 janeiro 1997. Os B-2s entraram em três campanhas, a Guerra do Kosovo em 1999, foi responsável pela destruição de 33% dos alvos sérvios, nas primeiras oito semanas da guerra. O B-2 foi usado em bombardeios no Afeganistão. Tendo os B-2s voado da base da força aérea em Whiteman até Afeganistão sem parada, apenas com reabastecimento em voo. Durante a Guerra do Iraque, os B-2s tiveram missões que duraram de 30 a 50 horas, liberando cerca de 680.000kg de munição. Todos os B-2s possuem capacidade de transporte de armas nuclears e misseis balísticos intercontinentais, em qualquer lugar do mundo, um novo upgrade das aeronaves esta previsto para setembro 2009.

English Eletric Lightning F.3

Tipo: Interceptador
País de origem: Reino Unido
Fabricante: English Electric Aircraft Co.
Primeiro voo: 04 de Agosto de 1954
Inicio do serviço: Dezembro de 1959
Retirado de serviço: 1988 (RAF)
Primeiros usuarios: Royal Air Force, Kuwait Air Force e Royal Saudi Air Force
Total produzido: 337 (incluindo prototipos)
Tripulãção: 1 piloto
Compriemnto: 16.84 m
Envergadura: 10.62 m
Altura: 5.97 m
Area das asas: 44.1 m²
Peso vazio: 12,720 kg
Peso maximo de decolagem: 18,900 kg
Motores: 2× Rolls-Royce Avon 301R
Empuxo: 13,220 lbf cada
Empuxo com pós combustão: 16,360 lbf cada
Velocidade máxima: 2,415 km/h
Alcance: 1,300 km, em combate 560 km
Alcance máximo: 2,500 km
Altitude maxima: 18,000 m oficial, 26,600 m recorde
Razão de subida: 260 m/s
Metralhadoras: 2× 30 mm ADEN, 8 casulos Matra cada um com 18× SNEB 68 mm ou
4 casulos Matra JL-100 cada um com 19× SNEB 68 mm e um tanque adicional de 250 litros em cada asa, 2 misseis De Havilland Firestreak ou 2 misseis Hawker Siddeley Red Top e bombas.

Durante os seus trinta anos de serviço, o Lightning apresentou um desempenho incontestável, que só foi superado com a chegada dos super caças nos anos 80. Toda um geração de pilotos de caça da RAF sonho em voar neste avião. E em 1980 o English Eletric Lightning era, ainda o jato inglês mais veloz. Seu painel de comando, da década de 1950, exigia uma quantidade de trabalho assustadora. Seu radar era virtualmente ineficaz a baixa altitude e não conseguia mirar para baixo. Seus dois misseis orientados por infravermelho eram quase cegos quando comparados aos modelos mordenos. Mas o Lightning tinha um trunfo, sua performace. Tão veloz quanto seu nome, ele subia como um foguete, excelente em combates aéreos, podendo fazer viradas de aceleração tão boas quanto as do F-4 Phantom.
O desempenho do Lightning era excelente, sua razão de subida era de 15 km/min. O Mirage III atingiu 9 km/min, o MiG-21 conseguiu 11 km/min. O Lightning alcança os 11.000m em 2.5 minutos. A altitude oficial era de 18 000m, embora fosse conhecido dentro da RAF que ele era capaz de alturas muito maiores, em setembro de 1962 o comando da RAF organizou uma série de intercepções aos Lockheed U-2, baseados em Heyford, em alturas próximas de 18.000-20.000m, as interceptações ocorreram em dois estágios, a segunda série que consiste em 14 intercepções, incluindo quatro bem sucedidas e quatro abortivas a 20.000m em uma das subidas foi alcançado a marca de 26 600 m, sobre Arábia Saudita, a curvatura da terra era visível e o céu era completamente escuro, disse o piloto. Em 1984, durante exercícios da OTAN, um Lightning interceptou um U-2, a uma incrivel altura de 26.800m. Em 1959, um F-104 especialmente preparado quebrou o recorde mundial de altura, alcangando 31.500m.

LIGHTNING FOTO 1,FOTO 2,FOTO 3,FOTO 4,MISSEL FIRESTREAK,MISSEL FIRESTREAK II

Videos de aviões

Loading...