" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Junkers Ju 88



Tipo: Bombardeiro de mergulho, tático e pesado,
caça noturno e torpedeiro
Fabricante: Junkers
Primeiro voo: 21 Dezembro de 1936
Inicio do serviço: 1939
Retirado do serviço: 1951 ( França )
Primeiro usuário: Luftwaffe
Total produzido: cerca de 15.000
Variantes: Junkers Ju 188
Tripulação: 4
Comprimento: 14.36 m
Envergadura: 20.08 m
Altura: 5.07 m
Area das asas: 54.7 m²
Peso carregado: 8.550 kg
Peso máximo de decolagem: 14.000 kg
Motores: 2× motores Junkers Jumo 211J, refrigerado a liquido, V-12 invertido, com 1.401 cv cada
Velocidade máxima: 510 km/h a 5.300 m
Alcance: 2.430 km somente com combustivel interno
Altitude de serviço: 9.000 m com peso máximo
Armamentos: 1 metralhadora de 7.92 mm MG 81J com 1.000 cartuchos móvel na frente do avião , 2 metralhadoras de 7.92 mm MG 81J com 1.000 cartuchos cada móvel montado em cima da cabine e 1 metralhadora de 7.92 MG 81Z com 3.000 cartuchos montada abaixo da fuselagem com mira para trás. Cerca de 3.600 kg de bombas internas e externas ou 2 torpedos



O Ju 88 foi um dos aviões mais versáteis da Segunda Guerra Mundial, convertido originalmente de um avião de passageiros civil, foi usado praticamente em todo tipo de combate. Em todas suas versões foi capaz de atender a todo tipo de serviço que incluia bombardeiro de mergulho, bombardeiro convencional, caça noturno, interceptador diurno, reconhecimento fotográfico, destróier de tanques e até mesmo avião não tripulado.
A produção do Ju 88 foi dividida entre um grande número de sub-contratados diferentes incluindo a Arado, Dornier, Heinkel, Henschel e Volkswagen. Durante bombardeiros de mergulho o piloto mirava, em um ângulo de 60°, já no bombardeio convencional o copiloto usava a mira do nariz, o engenheiro de voo, que sentava atrás do piloto, manejava as metralhadoras superiores da traseira.
O Ju 88 entrou em combate pela primeira vez em setembro de 1939 contra as forças navais britânicas, quase 5.000 Ju 88 foram preparados para a invasão da Rússia em junho de 1941.
A grande autonomia deste avião tornou possivel longas noites de patrulha sobre a Inglaterra e África do Norte. Mais tarde usado como caça-bombardeiro, foi instalado no Ju 88 um conjunto de canhões que podia atirar em um ângulo de 60°. Possuia um radar de curto alcance Lichtenstein para detectar bombardeiros aliados a noite. Usado como caça noturno foi responsável por abater um grande número de bombardeiros da RAF. Isto foi conseguido com o retorno de sinal de aviso radar cauda da RAF, os caças noturnos seguiam o sinal para atacar a parte inferior totalmente desprotegida dos Lancaster. Novos projetos depois de 1943 aumentaram a velocidade máxima para mais de 644 km/h. Durante seu serviço de 1939 a 1945, foram produzidos cerca de 10.000 Ju 88, em 10 variantes com 104 protótipos.
Operadores do Ju 88: Bulgária, Finlândia Junkers Ju 88 A-4, França operava um Ju 88 capturado em Toulouse, Hungria, Itália, Romênia, RAF um Junkers Ju 88 capturado, União Soviética um Ju 88 capturado e Espanha cerca de 15 aeronaves.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Mikoyan-Gurevich MiG-21 "Bis"

Tipo: Caça
Fabricante: Mikoyan-Gurevich OKB
Primeiro voo: 14 Fevereiro de 1955
Inicio do serviço: 1959 (MiG-21F)
Retirado do serviço: 1990 (na Russia)
Status: ainda em uso em alguns países
Primeiros usuários: União Soviética, Romênia e Vietnã
Producão: de 1959 a 1985
Total produzido: cerca de 11.496 (10,645 na União Soviética, 194 na Tchecoslováquia e 657 na India)
Variantes: Chengdu J-7
Tripulação: 1
Comprimento: 15.0 m
Envergadura: 7.15 m
Altura: 4.12 m
Area das asas: 23.0
Peso vazio: 5.339 kg
Peso máximo: 8.725 kg
Motor: 1 × turbina Tumanskiy R25-300, 4.100 kg de empuxo sem pós combustão e 7100 kg de empuxo com pós combustão
Velocidade máxima: 2.350 km/h
Alcance: somente com combustivel 1.210 km
Altitude de serviço: 17.800 m
Razão de subida: 225 m/s
Armamentos: 1 canhão GSh-23 interno de 23 mm, 2 misseis K-13A (R-3R) ou 4 misseis Molniya R-60 AAM, 2 bombas de 500 kg cada

O Mikoyan-Gurevich MiG-21 chamado de "Fishbed" pela OTAN entre outros nomes códigos, é caça supersônico, projetado pela Mikoyan-Gurevich da então União Soviética. Apelidado de "lápis" pelos pilotos poloneses devido à forma de sua fuselagem. As primeiras versões são consideradas de segunda geração, já as mais atuais de terceira geração. Por volta de 50 países em quatro continentes voaram com o MiG-21, e ainda está em uso em diversos países. É o caça mais produzido na história da aviação e o avião de combate mais produzido desde a Guerra da Coréia, e sendo o avião de combate com o maior tempo de produção de 1959 a 1985.
Na Força Aérea Indiana (IAF) estima-se que de 1993 a 2002 houveram cerca de 283 acidentes com a morte de 100 pilotos, a IAF perdeu pelo menos 116 aeronaves por diversos defeitos, já em combate perderam cerca de 81 aeronaves desde 1990.
Durante a Guerra do Vietnã o Mig-21 foi muito usado contra os Estados Unidos, segue as perdas de ambos os lados, somente aviões abatidos pelo Mig-21:
1966: 6 MiG-21 perdidos contra 7 F-4 Phantom e 11 F-105 Thunderchiefs
1967: 21 MiG-21 perdidos conytra 17 F-105 Thunderchiefs, 11 F-4 Phantom, 2 RF-101 Voodoos, 1 A-4 Skyhawk, 1 F-8 Crusader, 1 EB-66 Destroyer e outras três aeronaves não identificadas.
1968: 9 MiG-21 perdidos contra 17 aeronaves americanas.
1969: 3 MiG-21 perdidos contra 1 UAV Firebee.
1970: 2 MiG-21 perdidos contra 1 F-4 Phantom e 1 CH-53 Sea Stallion.
1972: 51 MiG-21s perdidos contra 53 aeronaves perdidas pelos Estados Unidos incluindo 2 B-52 Stratofortress. Sendo que a Força Aérea Norte Vietnamita em 1972 perdeu 34 MiG-21, 9 MiG-17 e 9 MiG-19.
O Mig 21 foi usado em muitas guerras, como a da India-Paquistão, Guerra de Kargil, Guerra do Vietnã, Conflito Arábe-Israel, Líbia e Egito, Guerra Civil Angolana e na Primeira e Segunda Guerra do Congo.
Houve programas de modernização dos Mig-21, a Rússia oferece um pacote de melhoramento mudando os modelos antigos do MiG-21 para o padrão MiG-21-93, que inclui melhor aviônica, instalação do radar de Kopyo pulso-doppler, versão menor do radar de N010 Zhuk usado pelo MiG-29, que permite o uso de armas modernas tais como o míssil Vympel R-77 um missel de alcance além do campo visual, sua nova aviônica permite seguir vários inimigos ao mesmo tempo. Outro melhoramento inclue a instalação de uma dupla tela HUD, com designador de alvo montado no capacete e de sistemas de controle de voo avançados. Além de programas como o MiG-21-2000 versão de exportação, fabricado pela Israel Aerospace Industries, MiG-21 LanceR versão proposta pela Elbit de Israel e a Aerostar SA da Romênia para a Força Aérea Romena, o programa IAF MiG-21 Bison proposto para a India e exportação, com iniciativa da Rússia, permite a cooperação entre caças Indianos Mig-21 e Americanos F-15 e F-16 durante exercicios aéreos entre India-Estados Unidos e o com novo motor Klimov RD-33, versão está do Mig-21 que em simulação provou ser melhor em dogfight do que o F-16.

domingo, 18 de abril de 2010

Northrop P-61 Black Widow

Tipo: Caça noturno
País de origem: Estados Unidos
Fabricante: Northrop
Primeiro voo: 26 de maio de 1942
Inicio do serviço: 1944
Retirado do serviço: 1952
Primeiros usuários: Exécito Americano e Força Aérea Americana
Total produzido: 742
Custo unitário: US$ 190.000
Variantes: F-15 Reporter
Tripulação: 2 a 3 (piloto, operado de radar e artilheiro opcional)
Comprimento: 15.11 m
Envergadura: 20.12 m
Altura: 4.47 m
Area das asa: 61.53 m²
Peso vazio: 10,637 kg
Peso carregado: 13,471 kg
Peso máximo de decolagem: 16,420 kg
Motores: 2× Pratt & Whitney R-2800-65W Double Wasp, motor radial, 2.250 cv cada
Diâmetro das hélices: 3.72 m
Capacidade de combustível: interna 2.423 litros e um tanque sob a fuselagem de 625 litros ou 1.173 litros em dois tanques sob as asas
Velocidade máxima: 589 km/h a 6.095 m
Alcance de combate: 982 km
Alcance máximo: 3.060 km com quatro tanques externos
Altitude de serviço: 10,600 m
Razão de subida: 12.9 m/s - alcançava sua altitude operacional a 6.100 m em 12 minutos
Armamentos: 4 metralhadoras de 20 mm Hispano M2 sob a fuselagem, com 200 cartuchos cada, 4 metraladoras .50 de 12.7 mm M2 Browning em uma torreta controlada pelo artilheiro sobre a fuselagem, com 560 cartuchos cada, podendo transportar quatro bombas de 726 kg cada, ou uma única bomba de 1.000 kg sob a fuselagem ou seis foguetes de 127mm com ogivas de 21kg que podia destruir tanques, trens e grandes depósitos,
Aviônicos: um radar de busca SCR-720 (AI Mk.X) e um radar de alerta de ataque traseiro SCR-695
O P-61 Black Widow da Northrop foi o primeiro avião militar operacional dos Estados Unidos projetado especificamente para uso com radares, de construção metálica e bimotor. Sendo utilizado na Europa, Pacífico e Mediterrâneo em missões noturnas pela Força Aérea e Exército Americano durante a Segunda Guerra Mundial, substituindo aviões britânicos neste tipo de tarefa, devido a seu novo radar. O P-61 foi modificado e designado F-15 Reporter para missões de reconhecimento, sendo o último avião a pistão de foto reconhecimento do mundo, projetado e produzido para a Força Aérea Americana.
O P-61 possuia um radar modelo SCR-720A montado com um transmissor de rádio instalado no nariz do avião, com capacidade de intercepção aérea, tendo uma alcance de até 8 quilometros. O operador de radar do P-61 seguia o alvo através do radar e dirigia o piloto até o alvo, uma vez próximo do alvo o piloto utiliza em seu painel um instrumento que era possivel seguir e engajar no alvo, pronto para abate-lo.
Acredita-se que o último avião inimigo abatido antes da rendição japonesa, tenha sido atingido por um P-61B-2 do 548th, era um avião japônes Nakajima Ki-44 "Tojo" em 14 Agosto de 1945 embora acredita-se que o Ki-44 " Tojo" ao perceber o P-61 tentou uma série de manobras evasivas que terminaram com a colisão com o mar, ficando os pilotos americanos sem o crédito dessa vitória.

Videos de aviões

Loading...