" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

domingo, 27 de junho de 2010

MD Helicopters MD 500 F

Tipo: Helicoptero leve multipropósito Fabricante: MDD Mcdonnell Douglas
Total produzido: cerca de 4700
Desenvolvido a partir: OH-6 Cayuse
Variantes: MD 500 Defender e MD Helicopters MD 600
Tripulação: 1-2
Capacidade de passageiros: 5
Comprimento: 9.94 m
Diâmetro do rotor: 8.33 m
Altura: 2.48 m
Peso vazio: 722 kg
Peso máximo de decolagem: 1.610 kg
Motor: 1× turbina Allison 250-C30 de 375 c.v
Velocidade máxima: 282 km/h
Velocidade de cruzeiro: 250 km/h
Alcance: 430 km
Altitude de serviço: 5.700 m
Razão de subida: 10.5 m/s

Armamento: na versão 530 MG a mais completa - 2 metralhadoras giratórias M134 de 7.62 mm, 2 lançadores M260 com 19 foguetes Hydra, 2 lançadores de granadas .50, 2 misseis TOW, 2 misseis Hellfire ATGM ou 2 misseis Stinger AAM.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Kfir - Israel Aircraft Industries

Tipo: Caça bombardeiro
País de origem: Israel
Fabricante: Israel Aircraft Industries
Primeiro voo: Junho de 1973
Inicio do serviço: 1975
Retirado de serviço: em 1996 de Israel
Status: ainda operacional
Primeiros usuários: Força Aérea de Israel, Marinha Americana, Força Aérea Colombiana e Força Aérea de Sri Lanka
Total produzido: cerca de 220
Custo unitário: U$ 4.5 milhões
Desenvolvido a partir: IAI Nesher
Tripulação: 1
Comprimento: 15.65 m
Envergadura: 8.22 m
Altura: 4.55 m
Aréa das asas: 34.8 m²
Peso vazio:  7,285 kg
Peso carregado: 11,603 kg
Peso máximo de decolagem: 16,200 kg
Motor: 1 turbina General Electric J-79-J1E
Empuxo: 5.434 kg 
Empuxo com pós-combustão: 8.119 kg 
Velocidade máxima: 2.440 km/h a 11.000 m 
Alcance de combate: 768 km 
Altitude de serviço: 17.680 m 
Razão de subida: 233 m/s
Armamentos: 2 canhões DEFA 553 de 30 mm com 140 cartuchos cada, pode transportar pods de foguetes Matra JL-100 com 19 foguetes SNEB de 68 mm, com 2 misseis AIM-9 Sidewinders ou Shafrir ou Python,  2 misseis  Shrike ARMs ou 2 misseis AGM-65 Maverick e na configuração de ataque ao solo pode carregar 5.775 kg de bombas em nove pontos externos, as bombas variam dos modelos Mark 80, Paveway, Griffin LGBs, TAL-1, TAL-2, CBUs, BLU-107 e com pods de reconhecimento e tanques extras de combustivel.

O Kfir Israelense é um avião de combate para qualquer tempo, multi-emprego, construído com base na fuselagem modificada do Mirage 5 da Dassault, com aviônica Israelense e um motor turbojato da General Electric J79. O projeto inicial usava um Mirage IIIC da Dassault como base do desenvolvimento do Kfir, pois o Mirage IIICJ era um caça para qualquer tempo, com asa em delta, sendo o primeiro avião a atingir Mach 2 adquirido por Israel e constituia a espinha dorsal da IAF ( Força Aérea de Israel ) durante os anos 60, até a chegada do A-4 Skyhawk e mais importante ainda, o F-4 Phantom II. Já o Mirage IIICJ provou ser extremamente eficaz no papel de superioridade aérea, mas seu curto alcance em combate impôs algumas limitações em seu uso como avião de ataque ao solo.
Assim, em meados dos anos 60, a pedido de Israel, a Dassault Aviation começou a desenvolver o Mirage 5, uma versão de ataque ao solo do Mirage III. Depois das sugestões feitas pelos Israelenses, a aviônica avançada situada atrás da cabine do piloto foi removida, permitindo que os aviões aumentassem sua capacidade de combustível e reduzissem custos de manutenção. Em 1968, a Dassault tinha terminado a produção de 50 Mirage´s 5J para Israel, mas um embargo imposto pelo governo francês em 1967 impediu que Dassault entregasse os aviões. Israel respondeu produzindo uma cópia não autorizada do Miragem 5, o Nesher, com especificações técnicas para a fuselagem e motor obtidos pela inteligência de Israel, que mais tarde se tornaria o Kfir.
O Kfir entrou em serviço na IAF em 1975, seu papel era a de superioridade aérea, junto com os F-15 Eagle entregues a Israel em 1976. O batismo de fogo em combate do Kfir foi em 9 de novembro de 1977, durante voo sobre um acampamento de treinamento em Azia, no Líbano. A única vitória aérea confirmada do Kfir a serviço da IAF ocorreu em 27 de junho de 1979 quando um Kfir C.2 abateu um MiG-21 sírio. Antes da invasão Israelense ao sul do Líbano em 1982 a IAF usava seus F-15s e F-16s para papéis de superioridade aérea e os Kfirs para realizar missões de escolta. Pouco depois, todos os Kfir C.2s passaram para a versão C.7, com o aumento da carga útil, o Kfir passaram para seu novo papel de caça-bombardeiro. Durante a segunda metade dos anos 90, o Kfirs de Israel foram retirados de serviço, após quase vinte anos de serviço. Até 2006, o IAI Kfir foram exportados para Colômbia, Equador e Sri Lanka e ainda permanecem em serviço. Os Estados Unidos utiliza o Kfir como treinador no Strike Fighter Tactics da Marinha Americana no esquadrão Agressors, chamado popularmente de TOPGUN.

sábado, 5 de junho de 2010

FLARE dispositivo de defesa e proteção

UM AC-130U SPOOKY DISPARANDO SEUS FLARES
Flare dispositivo de defesa e proteção
O Flare é uma contramedida defensiva aérea, contra armamentos que utilizam a guiagem infravermelha, como mísseis terra-ar e ar-ar. Os Flares geralmente são compostos de elementos pirotécnicos como o magnésio ou outro metal explosivo e de fácil queima, com a temperatura que chega próximo ao de exaustão de um motor, dessa maneira o missil guiado por infravermelho procura a assinatura de calor do Flare ao invés do calor dos motores das aeronaves.
Ao contrário dos mísseis guiados por radar os guiados por infravermelho são dificieis de serem detectados pelos radares dos aviões, já que não emitem sinal radar detectável e são geralmente disparados na campo de visão traseiro da aeronave, por conta da posicção dos motores. Na maior parte dos casos os pilotos precisam confiar em seus alas ou co-pilotos para alerta-los sobre um ataque. A maioria dos misseis de infravermelho são de curto alcance e baixa altitude, um novo sistema eletro-óptico é capaz de detectar a emissão térmica do motor do missil que está atacando a aeronave. Uma vez detectado o míssil infravermelho ocorre o disparo dos Flares da aeronave de modo manual ou automático, já a aeronave se afasta do local em um ângulo contrário a trajetória do míssil como este H-60 Seahawk , reduzindo a potência do motor na tentativa de refrigerar a assinatura térmica, dessa maneira o missil se confunde com a mudança brusca de emissão térmica do motor da aeronave e acaba buscando a emissão térmica do Flare.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

9K38 Igla ''SA-16 Gimlet''

Tipo: Sistema portátil anti-aéreo
País de origem: União Soviética
Em serviço: desde 1983 até hoje
Fabricante: KBM
Custo unitário: 60.000 a 80.000 doláres em 2003











Especificações:
Peso do equipamento: 18 kg
Ogiva: 1.17 kg com 390 g de explosivo HMX um dos explosivos quimicos mais poderosos
Peso do missel: 10.8 kg
Comprimento: 1.57 m
Diâmetro: 72 mm
Mecanismo de detonação: de contato e aproximação
Motor: foguete com combustível sólido
Alcance: 5.2 km
Altitude de voo: 3.5 km
Velocidade: 800 m/s a 2.817 km/h
Sistema de guiagem: infravermelho

O Igla 9K38 é um sistema de arma portátil infravermelha para uso anti-aéreo construido pela Empresa Russa KBM, chamado pela OTAN de ''Grouse'', sua versão anterior é conhecida como Igla-1 ou SA-16 Gimlet 9K310. O desenvolvimento desta arma portátil de defesa aérea de curto alcance em 1972, com o objetivo principal de melhorar a resistência contra medidas eletrônicas de seus alvos. O 9K310 Igla-1 e seu sistema de mísseis 9M313 foram aceitos em serviço no exército soviético, em 11 de Março de 1981. As principais diferenças do Strela-3 incluiam o sistema de Identificação amigo ou inimigo criado para evitar disparos contra aviões amigos, disparo automático, elevação para facilitar o disparo com isso reduziria o campo de tiro, um foguete um pouco maior reduzindo o arrasto, melhor sistema de orientação para que houvesse um aumento no alcance e melhor desempenho contra alvos manobráveis e rápidos, com isso o alvo seria atingido na fuselagem e não mais no bocal da turbina do avião. A combinação de detonação de proximidade com o do infravermelho, junto ao restante do combustivel do missel seria de grande impacto contra o alvo, sendo as contramedidas eletrônicas e de proteção como chaffs e flares do alvo, praticamente nulas contra o missel do Igla.
Segundo o fabricante, testes na África do Sul provavelmente em algum dos conflitos naquela aréa mostraram que o Igla é superior ao missel Americano FIM-92A Stinger. No entanto, outros testes na Croácia afirmam que o Igla tem um menor tempo de voo e alcance, mas sua eficácia é igual ao do Stinger. A probabilidade de acerto do Igla fica entre 30% a 48% contra alvos desprotegidos que é reduzida para 24% na presença de flares e proteção eletrônica, já contra um caça F-4 Phantom II o fabricante afirma que a porcentagem de acerto fica em 59% com alvo fixo e de 44% com o uso pelo alvo de contramedidas ou manobras evasivas.
O uso em combate mais notável do Igla modelo SA-16 foi durante a Guerra do Golfo, em 17 de janeiro de 1991, após uma missão de bombardeio, um Panavia Tornado da RAF foi abatido por Forças Iraquianas. Já em 1995, um Mirage 2000 Francês foi abatido sobre a Bósnia por um Igla 9K38 disparado por unidades de defesa aérea do Exército da República da Sérvia.
A seguir as versões do Igla: Igla-1E versão para exportação / Igla-1M versão melhorada do modelo, para uso soviético na década de 80 / Igla-1D versão para pára-quedistas e forças especiais com tubo de lançamento separado do míssel / Igla-1V versão para uso principalmnete contra helicopteros / Igla-1N versão com ogiva maior, com uma pequena redução na velocidade / Igla-1A segunda versão para exportação / Igla-1S a mais nova variante, com maior alcance, mais sensível, melhor resistência a contra medidas recentes e uma ogiva maior.
E para finalizar em 12 de agosto de 2003, como resultado de uma operação policial com cooperação de americanos, britânicos e russos, Hemant Lakhani , um britânico , foi preso ao tentar entrar nos Estados Unidos com um modelo antigo do Igla, interrogado ele disse que tinha intenção de abater o Air Force One , o avião presidencial americano ou um avião comercial e que planejava comprar outras 50 dessas armas.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Bell P-39 Airacobra

Tipo: Caça-bombardeiro monoplace
Fabricante: Bell Aircraft
Primeiro voo: 6 de abril de 1938
Inicio do serviço: 1941
Retirado de serviço: em 1951 na Itália
Primeiros usuários: Exército Americano, Força Aérea Soviética e Real Força Aérea
Produção: de 1940 a maio de 1944
Total produzido: cerca de 10.000
Custo unitário: U$ 50.666 em 1944
Variante: XFL Airabonita / P-63 Kingcobra
Dados do (P-39Q)
Tripulação: 1 ( piloto )
Comprimento: 9.20 m
Envergadura: 10.40 m
Altura: 3.80 m
Aréa das asas: 19.8 m²
Peso vazio: 2.425 kg
Peso carregado: 3.347 kg
Peso máximo de decolagem: 3.800 kg
Motor: 1 Allison V-1710-85, refrigerado a agua, V-12, 1.200 cavalos
Velocidade máxima:605 km/h
Alcance: 840 km
Altitude de serviço: 10.700 m, pode atingir 15.000 m em 4m e 50s
Razão de subida: 19 m/s
Armamentos: 1 canhão M4 de 37 mm com 30 cartuchos atirando atraves do cubo da hélice ( na RAF este canhão foi substituido por um de 20 mm com 60 cartuchos, 2 metralhadoras .50 de 12.7 mm com 200 cartuchos cada no nariz em sincronismo com a hélice, 4 metralhadoras .30 de 7.62 mm duas em cada asa com 150 cartuchos cada e suporte sob a fuselagem para uma bomba de 227 kg.

Aparentemente convencional, o P-39 estava equipado com um motor colocado atrás da cabine, acionando a hélice atraves de um longo eixo de transmissão, dando espaço dianteiro para que houvesse um maior poder de fogo e fornecendo ao piloto uma melhor visão frontal do que nos outros caças. Esse modelo de aeronave exigiu um trem de pouso triciclo, sendo o primeiro monomotor americano com esse tipo de equipamento. Em serviço já em 1941 era o mais avançado caça que a Força Aerea Americana no inicio da guerra, apesar da decisão de não o equipar com um turbo compressor, oque prejudicou o seu desempenho limitando seu uso em altitudes de até 5.200 m. Sua estrutura robusta e seu grande poder de manobra fizeram dele um poderoso avião de ataque ao solo. Obteve grande sucesso na África do Norte e no Extremo Oriente. Cerca de 4.773 aviões foram entregues a União Soviética, que usaram em combates aéreos e o segundo maior ás da União Soviética utilizou o P-39, já na Aviação Americana o P-39 foi principalmente utilizado no Pacifico, onde a oposição de caças inimigos era menor do que na Europa.
Em setembro de 1940, a Grã-Bretanha requisitado 386 P-39Ds (modelo 14), com um canhão de 20 mm e seis metralhadoras de 7.7 mm. A RAF pediu um total de 675 P-39s. Entretanto, depois que o primeiro Airacobra chegou em setembro de 1941, foram realizados testes e descobriram que o P-39 tinha curto alcance e desempenho ruim em altitudes usadas pela RAF nos teatros europeus, somente 80 deles foram utilizados no esquadrão 601 onde serviriam. Já a Grã-Bretanha transferiu aproximadamente 200 P-39s para União Soviética. Por volta de 200 aviões da RAF foram entregues aos Estados Unidos após o ataque a Pearl Harbor, sendo posteriormente enviados a Quinta Força Aérea Austráliana, para o serviço no Pacífico. Entretanto a produção atrasada dos modelos N e Q mantiveram uma velocidade superior a 604 km/h com uma altitude operacinal de 6.100 m, dessa maneira podia alcançar em mergulho o Spitfire, mas sempre obedecendo a recomendação de velocidade em mergulho que era de 764 km/h. A posição do motor era ideal para ataques ao solo, tendo em vista que os tiros atingiam a frente do avião, ficando o motor potegido na parte de trás da aeronave, mas ficava muito vulnerável a ataques traseiros vindos de outros aviões. Antes do ataque a Pearl Harbor, quase 600 aviões haviam sido construídos, ao final da produção dos P-39 em agosto de 1944, a Bell tinha construído quase 10.000 aviões. Houve vários modelos e protótipos construidos pela Bell, o XP-39-BE um protótipo com motor Allison V-1710-17 com 1.150 cavalos, com turbo compressor, 2 metralhadoras de 12.7 mm e 1 canhão de 25 mm / YP-39 com motor Allison V-1710-37 com 1090 cavalos, armado com 1 canhão de 37 mm, 4 metrlhadoras sendo 2 de 12.7 mm e 2 de 7.62 mm / YP-39A para grandes altitudes com motor Allison V-1710-31 com 1.150 cavalos / XP-39B com motor Allison V-1710-37 de 1.090 cavalos, houve várias mudanças na estrutura, inclusive a instalação de um turbo compressor / P-39C com motor Allison V-1710-35 de 1.150 cavalos, 1 canhão de 37 mm, 4 metralhadoras sendo 2 de 12.7 mm e 2 7.62 mm, melhor blindagem e tanques de combustivel extras / Airacobra IA com motor Allison V-1710-E4 de 1150 cavalos, 1 canhão de 20 mm, 4 metralhadoras sendo 2 de 12.7 mm e 2 de 7.7 mm / P-39D-BE melhor blindagem e tanques extras de combustivel, 1 canhão de 37 mm, 2 metralhadoras de 12.7 mm e 4 metralhadoras de 7.62 mm / P-39D-2 com motor Allison V-1710-63 de 1.325 cavalos, 1 canhão de 37 mm, tanque extra de 549 litros ou 1 bomba de 227 kg / P-39D-3 com câmeras de reconhecimento sob a fuselagem e melhor blindagem /
XP-39E três protótipos testados com motor Continental I-1430-1 de 2.100 cavalos e motor Allison V-1710-47 de 1.325 / TP-39F-1 convertido para treinamento com dois assentos e sem armamento / P-39L-1BE contruidos para a União Soviética / P-39L-1 modificado para uso de foguetes, sob as asas, 250 produzidos, sendo estes modelos os principais.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Aichi D3A '' Val ''


Tipo: Bombardeiro de mergulho embarcado
Fabricante: Aichi Kokuki KK
Primeiro voo: Janeiro de 1938
Inicio do serviço: 1940
Primeiro usuário: Marinha Imperial Japonesa
Total produzido: 470 D3A1 e 1.016 D3A2
Tripilação: 2 (piloto e operador de rádio/artilheiro)
Comprimento: 10.2 m
Envergadura: 14.37 m
Altura: 3.8 m
Area das asas: 34.9 m²
Peso vazio: 2.570 kg
Peso máximo de decolagem: 4.122 kg
Motor: 1 Mitsubishi Kinsei 54, radial, de 1.300 hp
Velocidade máxima: 430 km/h
Alcance: 1.352 km
Altitude de serviço: 10.500 m
Razão de subida: 8.62 m/s
Armamento: 2 metralhadoras fixas de 7.7 mm, 1 metrlhadora móvel de 7.7 mm na parte traseira da cabine e uma bomba de 250 kg sob a fuselagem e 2 sob as asas cada uma com 60 kg .

O Aichi D3A chamado de Val pelos aliados, tornou-se um dos mais conhecidos bombardeiros da história. Era um bombardeiro de mergulho embarcado na Marinha Imperial Japonesa nas fases iniciais da guerra, participou em quase todas as ações, incluindo Pearl Harbor. O projeto do Aichi começou com as asas elípticas usadas no Heinkel He 70. O primeiro protótipo usava um motor Hikari de baixa potência com 710 cavalos, o segundo recebeu um motor Kinsei 3 de 840 cavalos, sua capota foi remodelada, a cauda vertical foi ampliada para ajudar a estabilidade direcional, aumentaram a extensão e seções de bordo de ataque e os freios de mergulho foram reforçados, a partir dai o D3A provou ser melhor que seus rivais.
Em dezembro 1939, a Marinha requisitou os aviões do tipo 99 para uso em bombardeios, tais modelos tinham asas ligeiramente menores e aumentaram a potência do motor chegando a 1.070 cavalos no modelo Kinsei 44, o problema direcional da instabilidade foi resolvido finalmente com o encaixe de uma aleta dorsal longa. O D3A1 começou seu serviço a bordo do porta-aviões Akagi e Kaga durante 1940, quando um pequeno número de aviões atacaram alvos em território chinês. Começando com o ataque de Pearl Harbor neste dia foram utilizados 129 ''Val'', o D3A1 participou em todas as operações japonesas nos primeiros 10 meses da guerra. Conseguiram a fama durante a invasão do Oceano Índico em abril 1942 quando os D3A1s atingiram 80% das bombas lançadas durante ataques aos cruzadores britânicos HMS Cornualha e Dorsetshire e o porta-aviões HMS Hermes. Em junho de 1942, entrou em serviço uma versão melhorada do D3A o modelo 12, com motor Kinsei 54 de 1.300 cavalos, com alcande maior devido ao aumento do tanque de combustível com capacidade de 900 litros, sendo capaz de proteger as Ilhas Salomão. Quando as forças americanas retornaram as Filipinas em 1944, os D3A2s baseados em terra, tiveram pesadas perdas. Muitos D3A1s e D3A2s foram operados por unidades de treinamento no Japão, e diversos foram modificados com controles duplos como o tipo 99 modelo 12 da Marinha para instrução de bombardeiro (D3A2-K). Durante o último ano da guerra os D3A2s foram usados em missões kamikaze. Em 1945, guerrilheiros indonésios capturaram numerosas bases aéreas Japonesas e vários D3A "Val" foram capturados. Mas a maioria dos aviões foram destruídos entre 1945 e 1949 já que a Indonésia foi invadida por inimigos durante esse periodo.

Videos de aviões

Loading...