" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Dassault Mirage 2000

Tipo: Caça multi-propósito
Pais de origem: França
Fabricante: Dassault Aviation
Primeiro voo: 10 de Março de 1978 Inicio do serviço: Novembro de 1982 Primeiros usuários: França, India, Emirados Árabes e China
Total produzido: cerca de 601
Custo unitário: US$ 23 milhões Desenvovido a partir do: Mirage III Variantes: Mirage 2000N/2000D Tripulação: 1 ou 2 na versão de treinamento
Comprimento: 14.36 m
Envergadura: 9.13 m
Altura: 5.20 m
Area das asas: 41 m²
Peso vazio: 7.500 kg
Peso carregado: 13.800 kg
Peso máximo de decolagem: 17.000 kg
Motor: 1 turbina SNECMA M53-P2 com pós-combustão
Empuxo: 6.577 kg
Empuxo com pós-combustão: 9.706 kg
Velocidade máxima: 2.530 km/h em grandes altitudes e 1.110 km/h em baixas atitudes
Alcance: 1.550 km e 3.335 km com tanques auxiliares
Altitude de serviço: 17.060 m
Razão de subida: 285 m/s
Armamentos: 2 canhões de 30 mm DEFA 554 com 125 cartuchos cada, com um tota de pontos, 4 sob as asas, 5 sob a fuselagem, com capacidade para 6.300 kg, pode transportar pods com 18 foguetes Matra de 68 mm não-guiados cada, já a configuração com misseis ar-ar pode ser usados 6 misseis MBDA MICA IR/RF, 2 misseis Matra R550 Magic-II e 2 misseis Matra Super 530D, na configuração de misseis ar-superficie pode ser usado 2 misseis AM.39 Exocet, 2 misseis AS-30L guiado a laser e 1 missel nuclear de cruzeiro ASMP ou para missões de bombardeio 9 bombas Mk.82 de 227 kg.
Aviônicos: radar Thomson-CSF RDY (Radar Doppler Multi-alvos)

    O Dassault Mirage 2000 é um caça de quarta geração, multipropósito, monorreator, fabricado pela empresa Francesa Dassault Aviation. Foi projetada como um caça leve baseado no Mirage III no final dos anos 70, para a Força Aérea Francesa. Mostou grande sucesso em diversos tipos de missões, a versões incluem o Mirage 2000N, a 2000D e a 2000-5. Cerca de 600 aviões foram construidos e até 2009 estava em serviço em nove países. O seu ponto zero está na frente de seu centro de gravidade, dando ao caça estabilidade para melhorar a maneabilidade. Foi o primeiro avião de combate a incorporar a estabilidade negativa e controles fly-by-wire. Um freio a ar comprimido é montado acima e abaixo de cada asa semelhante ao do Mirage III.
    O Mirage 2000 tem opção de um gancho para uso em porta-aviões ou um pára-quedas pode ser instalado sob a cauda. Uma sonda removível para reabastecimento em voo, pode ser anexado a frente do cockpit, deslocando-se ligeiramente para a direita da fuselagem. O Dassault Mirage 2000C possui um sistema automático de controle de voo, proporcionando um alto grau de agilidade e fácil manuseio, com estabilidade e controles precisos em todas as situações. A fuselagem do Mirage 2000 pode suportar até 11 g (com um limite estrutural de 12 g), em vez dos 9 g indicados pelo fabricante. Os freios das rodas são feitos de carbono, oque permitiu a diminuição de seu tamanho graças a durabilidade do carbono. O Mirage 2000 possui cockpits monoposto ou biposto na versão de treinamento. O piloto controla a aeronave por meio de um manche no centro e o acelerador na mão esquerda, utiliza um assento ejetor tipo zero-zero (uma versão construida sob licença da empresa britânica Martin-Baker Mark 10). Ao contrário do F-16, o piloto se senta em posição convencional, sem ângulo para trás como no assento do F-16. O cockpit é pequeno e não possui formato de bolha. Apesar disso, a visibilidade do cockpit é muito boa.
    O Radar Thomson-CSF RDM multi-modo ou Dassault Electronique / Thomson-CSF RDI radar pulso-Doppler, cada um com um alcance de 100 km. Esta unidade foi uma evolução dos radares Cyrano, com unidades de processamento mais modernas e capacidades look-down/shoot-down. O alcance efetivo é de cerca de 60-70 km com recursos modestos contra alvos a baixa altitude. Algumas versões recentes de exportação do Mirage 2000 possui um Radar Doppler multi-alvos desenvolvido para o Mirage 2000-5. O Mirage 2000 é equipado com o receptor de alerta radar Thales Serval (RWR) com antenas nas pontas das asas e na parte superior do leme. A Dassault utilizava um sistema de dispersor Éclair sob a cauda, este ​​foi substituído por um par de dispensadores Matra Espiral, cada um montado nas extensões das asas, com uma capacidade total de 224 cartuchos. 
    O novo e poderoso motor turbojato SNECMA M53 com pós combustão, tem 6.350 kg de empuxo sem pós combustão e com pós combustão chega a 9.979 kg de empuxo. As entradas de ar estão equipados com um meio cone ajustável, que proporciona um choque de pressão, aumentando a eficiência do motor. Com uma capacidade interna de combustível de 3.978 litros no Mirage 2000C e E, e 3.904 litros no Mirage 2000B, N, D e S. Existem também a possibilidade de transporte de tanques extras de combustivel, sendo um central de 1.300 litros e mais dois, um em cada asa de 1.700 litros cada.
    O Mirage 2000-C da Força Aérea Francesa está equipado com dois canhões DEFA 554 de 30 mm com 125 cartuchos cada, com uma cadência de 1.800 tiros por minuto. Cada cartucho pesa 275 gramas e tem uma velocidade inicial de cerca de 800 metros por segundo.O Mirage 2000 pode transportar até 6.300 kg ou 7.000 kg na versão 9, em nove pontos, dois em cada asa e cinco sob a fuselagem. Sob as asa e transportado misseis ar-ar Super Matra 530 de médio alcance guiado por radar semi-ativo guiado e nas laterais das asas pode levar misseis ar-ar Matra Magic guiado por infravermelho de pequeno alcance. As versões de exportação do Mirage 2000 pode transportar o misseil AIM-9J/L/P Sidewinder. A partir da versão C os Mirages 2000 podem transportar o novo missel tático de pequeno e médio alcance MBDA MICA, com alcance de 500 m a 60 km em vez do missel Super 530D.
MIRAGE 2000-5

quarta-feira, 20 de abril de 2011

AIM-120 AMRAAM ou Missel Avançado Ar-Ar de Médio Alcance

Tipo: Missel de médio alcance ar-ar
Fabricante: Hughes/Raytheon
País de origem: Estados Unidos 
Inicio do serviço: setembro de 1991
Custo unitário: cerca de U$ 400.000 para versão 120C e U$ 700.000 para versão 120D
Versões: AIM-120A, AIM-120B, AIM-120C, AIM-120C-4/5/6/7, AIM-120D
 Peso: 152 kg
Comprimento: 3.7 m
Envergadura: 53.0 cm
Diâmetro: 18.0 cm
Ogiva: 23 kg de explosivo de alta fragmentação
Detonação: mecanimso ativado por radar, detonador de aproximação
Motor: Motor de foguete de alta performance dirigido
Alcance: AIM-120A de 50 a 70 km, AIM-120C 48 km, AIM-120D 72 km
Velocida máxima: 4.939 km/h
Orientação: Radar ativo, do tipo dispara e esqueça 
Aeronaves que podem transportar o AIM-120 AMRAAM: AV-8B+ Harrier II, BAE Sea Harrier, Eurofighter Typhoon, F-15E Strike Eagle, F-16 Fighting Falcon, F/A-18E/F Super Hornet, F-22 Raptor,
F-5S/T, Panavia Tornado ADV, JA 37 Viggen, Saab JAS 39 Gripen
Sistema de lançamento terrestre: AIM-120A (Lançador Hawk)
Sistema de lançamento móvel: AIM-120A (Lançador HUMRAAM)

   O AIM-120 AMRAAM é um míssil ar-ar do tipo dispara e esqueça, devido ao seu radar ativo, o AIM -120 substituiu o AIM-7 Sparrow como míssel de interceptação padrão.
No final dos anos 70, os militares americanos decidiram que precisavam de um míssel de médio alcance ar-ar com verdadeira capacidade dispare-e-esqueça. No caso do AIM-7 Sparrow a orientação era feita por um semi ativo, ou seja, precisava do radar da aeronave para iluminar o alvo até o impacto, o que fazia com que a aeronave não tivesse a capacidade de engajar vários alvos simultaneamente. Em fevereiro de 1979, a Hughes e Raytheon foram selecionados como finalistas para o AIM-120A AMRAAM e em dezembro de 1981 a Hughes foi declarada vencedora. Em fevereiro de 1984, o primeiro missel AIM-120A foi lançado de um F-16. Por uma série de problemas técnicos e políticos, somente em outubro de 1988 foi iniciado a produção do AIM-120, mas demorou até setembro de 1991, para que fosse considerado com operacional.
   O AIM-120A é alimentado por um motor de foguete de combustível sólido, antes do lançamento o controle de orientação do missel é ativado, através do radar da aeronave que engaja o alvo e o envia até o impacto, o piloto automático do missel pode receber atualizações no meio do voo, através de um link de dados. A seção de controle do míssil em voo é feito atraves de alhetas móveis. Assim que o AMRAAM se aproxima do alvo é ativado seu buscador de radar ativo, com isso os 23 kg da ogiva de fragmentação é detonada por um sistema "inteligente" que pode usar espoleta de proximidade ou uma espoleta de impacto. O alcance do AIM-120A, pode variar de acordo, com os parâmetros de queima e dados de desempenho, seu alcance pode variar de 50 km a 70 km, já a distância minima para o disparo contra uma alvo é de 2 km.
Embora alguns AIM-120As foram destacados para o Golfo, durante a Operação Tempestade no Deserto no início de 1991, oficialmente não foi usado. O uso em combate do AIM-120A ocorreu em dezembro de 1992, quando um F-16C abateu um MiG-25 iraquiano durante a Operação Southern Watch.
A versão AIM-120B, foi entregue no final de 1994, tem um novo sistema de orientação, software em módulos reprogramáveis, um novo processador digital e outras atualizações de eletrônica.
    A versão AIM-120C, foi entregue em 1996, a principal novidade são as asas e alhetas menores, embora esse recurso foi introduzido para permitir o transporte no compartimento interno de armas do F/A-22 Raptor. Mais de 12.000 misseis AIM-120 de todas as versões foram construídas até agora, incluindo uma quantidade significativa de clientes fora dos Estados Unidos. O AMRAAM pode ser utilizado por todos os caças atuais dos EUA, por lançadores terrestres fixos e móveis.
    O míssil AIM-120 é usado pela Noruega, em um lançador terrestre de seis tubos, chamado de NASAMS tornando-se operacional em 1995. Tambem em 1995, o Exército Americano avaliou o uso de lançadores de AMRAAM em veiculos Hammer, e em abril de 2001 a Raytheon recebeu um contrato de desenvolvimento e pré-produção para o USMC, mas foi cancelado em 2006.
    O Exército utiliza este sistema desde 2008, ele substituiu alguns sistemas de defesa aérea do Exército, que usavam os misseis FIM-92 Stinger.
FOTOS DO AIM-120: Lançador Terrestre, Lançador Móvel, Lançador Aéreo, Sistema de Guiagem.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Mil Mi-28 " Night Havoc "

Tipo: Helicóptero de ataque  
Fabricante: Mil Moscow Helicopter
Primeiro voo: Janeiro de 1988
Inicio do serviço:  2006 (Russia)
Status: em serviço e entregas
Primeiros usuário: Força Aérea Russa e Força Aérea Venezuelana 
Total produzido: cerca de 43 unidades
Custo por unidade: € 12 milhões de euros
Tripulação: 1 piloto (atrás) e 1 navegador/operador de armas (na frente)
Comprimento: 17.01 m 
Diâmetro do rotor: 17.20 m 
Altura: 4.70 m 
Aréa do rotor: 232.35 m²
Peso vazio: 8.600 kg
Peso carregado: 10.700 kg
Peso máximo de decolagem: 11.500 kg
Motor: 2 turbinas Klimov TV3-117VMA com 2.194 cv cada
Velocidade máxima: 320 km/h
Velocidade de cruzeiro: 270 km/h 
Alcance: 435 km 
Alcance de combate: 200 km com 10 minutos de reserva 
Alcance máximo: 1.100 km 
Altitude de serviço: 5.700 m
Armamento: 1 canhão de 30 mm Shipunov 2A42 com 250 cartuchos montado abaixo do nariz, com dois pontos sob cada asa, pode transportar bombas, foguetes, misseis e pods de armas. O Mil Mi pode ter a seguinte configuração de combate: 16 misseis anti-tanque Ataka-V e 40 foguetes S-8 ou 16 Ataka-V misseis anti-tanque e 10 foguetes S-13 rocket ou 16 misseis anti-tanque Ataka-V e 2 pods de metralhadoras de 23 mm Gsh-23L com 250 cartuchos cada. Podendo tambem transportar o missel anti-tanque 9K118 Sheksna ou 9A-2200, misseis ar-ar 8 Igla-V ou Vympel R-73 ou lançadores de minas 2 KMGU-2.

O Mil Mi-28 "Night Havoc" voou pela primeira vez em novembro de 1996 e os procedimentos de ensaio foram concluidos em 1999. O helicóptero Havoc retém a maior parte do projeto estrutural do Mi-28. A principal diferença é a instalação de um sistema de combate eletrônico integrado. Outras modificações incluem a caixa de câmbio principal para a transmissão de maior potência para o rotor; novo design das lâminas de alta eficiência, diminuindo o barulho das hélices dificultando a detecção dele pelo inimigo, um motor com sistema de controle de injeção de combustível para operação de alta potência.
Os principais sensores do sistema de combate do Havoc são a antena do radar de microondas montado acima da cabeça do rotor e um FLIR (Forward Looking Infrared). O sistema de combate integrado utiliza a bordo um processador para exibir o local que o helicóptero se encontra e um indicador de mapa em movimento, para mostrar o voo, sistemas e informações sobre o alvo em monitores de cristal líquido. A tripulação está equipada com óculos de visão noturna.
Capacidades do Mil Mi-28: capacidade de combate noturno e em qualquer tempo, está equipado com um radar de onda milimétrica montado sobre a hélice, igual ao radar Longbow do Apache. Esse radar, um N-025 Almaz-280, em capacidade de detectar um alvo terrestre a 10 km de distância e guiar mísseis AT-9 Spiral 2 e possui uma varredura de 360°, abaixo do nariz o Mi-28 tem uma torreta do sistema de mira TOR, com um sensor FLIR (câmera de imagens térmicas) usada para designação de alvos e navegação, uma câmera de TV, além de um designador de alvos a laser usado para guiar mísseis, colados nas laterias do helicoptero, sensores ópticos / laser, incluindo Zenit TV de baixo nível de luz. O armamento da versão de produção pode incluir os misseis Shturm 9M114 (AT-6 'Espiral') ou 9M120 Vikhr / Ataka (AT-12 'Swing') ASMs e Igla (SA-16 "Gimlet) AAMs e R-73 AAMS, sistema de busca automática de destino e terreno, detecção e identificação amigo/inimigo e para a versão Mi-28Ns um sistema de controle de missões Ramenskoye Breo-28N.
O projeto inicial do Mi-28 foi desenvolvido para dar suporte em missões de assalto anfíbio da Marinha e apoio aéreo para o Exército.
Quanto sua capacidade de combate e defesa o Mil Mi-28 está equipado com uma gama de equipamnetos como controle de armas por TV, (FLIR), sistema de tiro, radar de 360° de varredura, localizador de alvos fora do alcance, equipamentos de visão noturna, indicador de alvo com direcionamento controlado pelo capacete do operador de armas, rádio, sistema de orientação, sistema de dados com displays multifuncionais de cristal líquido, subsistemas de navegação do tipo GPS, sistema de auto-defes incluindo unidade de alerta radar, infra-vermelho, contra medidas eletrônicas e flares.
A versão Mi-28NAe de exportação foi oferecida para a Coréia do Norte, mas não há confirmação da compra.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Eurofighter Typhoon

Tipo: Caça-multipropósito
Fabricante: Eurofighter GmbH
Primeiro voo: 27 de março de 1994
Inicio do serviço: 4 agosto de 2003
Status: Operacional Usuários: R.A.F, Luftwaffe, Força Aérea Italiana, Austria, Espanha e Arábia Saudita
Total produzido: cerca de 707 até hoje
Custo unitário: € 90 mihões euros
Tripulação: 1 e 2 na aeronave de treinamento
Comprimento: 15.96 m
Envergadura: 10.95 m
Altura: 5.28 m Aréa das asas: 51.2 m2
Peso vazio: 11.150 kg Peso carregado: 16.000 kg
Peso máximo de decolagem: 23.500 kg
Motor: 2 turbinas Eurojet EJ200 com pós combustão
Empuxo: 5.896 kg cada
Empuxo com pós combustão: 9.071 kg cada
Capacidade de combustivel interna: 4.500 kg
Velocidade máxima acima do nivel do mar: 2.495 km/h e ao nivel do mar: 1.470 km/h
Velocidade de cruzeiro: 1.760 km/h
Alcance: 2.900 km
Alcance máximo: 3.790 km
Altitude de serviço: 19.810 m
Razão de subida: 315 m/s
Limite de força G: +9/−3 g
Armamentos: 1 canhão de 27 mm Mauser BK-27 com 150 cartuchos, a aeronave possui 13 pontos para fixação de armas: 8 sob as asas e 5 sob a fuselagem, com capacidade para 7.500 kg de armamento. Pode carregar uma variedade de misseis, os ar-ar dos tipos AIM-9 Sidewinder, AIM-132 ASRAAM, AIM-120 AMRAAM, IRIS-T e no futuro o MBDA Meteor, os ar-superficie AGM-65 Maverick, AGM-88 HARM, Storm Shadow, Brimstone, Taurus KEPD 350, Penguin e no futuro o AGM Armiger. Já as bombas podem variar das guiadas a laser Paveway II/III/Enhanced, as de submunições (JDAM) e HOPE/HOSBO. Possui tambem Flares e pods de chaff, contra medidas eletrônicas e pods de aquisição de alvos. Aviônico: Radar CAPTOR Euroradar e equipamento de monitoramento aéreo com infra vermelho passivo.

O Eurofighter é caça com duas turbinas, asa em delta, capaz de cumprir vários tipos de missões, projetado e construído por um consórcio de três companhias: Alenia Aeronautica, BAE Systems e a EADS, que foi iniciado em 1986. O projeto é controlado pela OTAN que é seu principal cliente. A produção em série do Eurofighter é feita com três contratos separados, tendo cada contrato alguma capacidade que difere cada Força Aérea. O Eurofighter está em serviço na Real Força Aérea, Luftwaffe, Força Aérea Italiana, Força Aérea Espanhola, Força Aérea Austríaca e Real Força Aérea Saudita. Tradução do inglês para português Em 1988, o Subsecretário de Estado para as Forças Armadas disse que o caça europeu seria um grande projeto, que custaria ao Reino Unido cerca de £ 70 bilhões. Era evidente que em breve uma estimativa mais realista foi apresentada em cerca de £ 13 bilhões e que cada aeronave custaria £ 30 milhões por aeronave. Em 1997 o custo estimado era de £ 17 bilhões, em 2003 £ 20 bilhões e a data de entrega teve um atraso de 54 meses. Após 2003 o Ministério da Defesa se ​​recusou a liberar as estimativas de custo. A produção do Eurofighter Typhoon tem quatro linhas de montagem distintas. Cada empresa monta a própria aeronave de seu país, mas constrói as peças para todas as aeronaves incluindo exportações. A quinta linha de montagem será estabelecida para a aeronave da Arábia Saudita. Em 16 de Dezembro de 2005, o Eurofighter atingiu a capacidade operacional inicial com a Força Aérea Italiana, foram colocados em serviço como caças de defesa aérea na Base Aérea de Grosseto, e imediatamente atribuído ao sistema de Tempo de reação rápida (QRA) na mesma base. Em 09 de agosto de 2007, o Ministério britânico da Defesa informou que Esquadrão No. XI da RAF, tinha recebido 2 caças multi-propósito. Já em 17 de agosto de 2007 dois Eurofihgter foram enviados para interceptar um Tupolev Tu-95 russo que havia se aproximado do espaço aéreo britânico. Os Typhoon da RAF foram declarados prontos para comate ar-solo de 01 de julho de 2008. Por volta de 25 de abril de 2008 um Typhoon do 17 º Esquadrão da RAF, operando na Base Aérea Naval dos EUA, na Califórnia, EUA, durante voos de testes, sofreu grandes danos durante um pouso, quando o trem de pouso não foi aberto. Apesar de nenhuma causa imediata foi especulado que o erro pode ter sido do piloto.
Em 11 de setembro de 2008, o tempo de voo das cinco Forças Aéreas ultrapassaram as 50 mil horas de voo. Em 31 de Março de 2009, um Eurofighter Typhoon disparou um missel AMRAAM usando seu radar no modo passivo, e os dados necessários para o alvo dos mísseis foi adquirida pelo segundo radar do Eurofighter e transmitido através do Sistema Multi Funcional de Distribuição de Informações. Em 17 de julho de 2009, os Eurofighters da Força Aérea Italiana foram destacados para proteger o espaço aéreo da Albânia. Em setembro de 2009, 4 Typhoon da RAF substituiram os Tornados F3s que defendem as Ilhas Malvinas. Nesta época o governo da Argentina fez um protesto formal. Em 24 de agosto de 2010, o projeto sofreu sua primeira fatalidade quando um Typhoon de dois lugares caiu, por razões desconhecidas, matando o piloto, um tenente-coronel da Força Aérea Sáudita, logo depois de decolar da Base Aérea de Moron, na Espanha. Especialistas suspeitam que a causa da queda tenha sido uma colisão com aves, o instrutor espanhol conseguiu se ejetar e sofreu apenas ferimentos leves.
Na sequência deste incidente, a Luftwaffe, cancelou o voo de seus 55 aviões, pois em 16 de Setembro de 2010, um piloto alemão morreu após se ejetar, seu para-quedas não abriu. Em resposta ao inquérito do acidente, em 17 de setembro de 2010, a RAF cancelou todos os voos de treinamento com o Typhoon. Em 21 de setembro, a RAF anunciou que o sistema de correias dos assentos tinham sido modificados, autorizando o reinicio dos voos com o Typhoon. A Força Aérea Austríaca disse também que todas as suas aeronaves haviam sido liberadas para o voo. Em 24 de agosto de 2010, a fabricante do assento de ejeção Martin Baker comentou: " Sob certas condições, a montagem e liberação rápida pode ser desbloqueado usando a palma das mãos, ao invés do polegar e os dedos e que este representava um risco de acidente ", e acrescentou que a modificação foi rapidamente desenvolvida e aprovada, para eliminar esse risco e que seria instalado em todos os Typhoon. Em janeiro de 2011, a aeronave ultrapassou 100.000 horas de voo em toda a frota. Em 18 de março de 2011, primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou que o Reino Unido iria usar caças Typhoon, juntamente com os Panavia Tornado, para impor uma zona de exclusão aérea na Líbia. Em 20 de março 10 Typhoon da RAF de Coningsby e Leuchars chegaram a Gioia del Colle uma base aérea no sul da Itália. Em 21 de Março os Typhoon da RAF voaram sua primeira missão de combate, patrulha a zona de exclusão aérea na Líbia.
FOTOS DO EUROFIGHTER: Configuração de ataque ao solo, Turbina, Detalhes da estrutura, Cockpit, Aterrisagem, Reabastecimento em voo, Interceptando um TU-95 Bear.

Videos de aviões

Loading...