" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

sábado, 10 de setembro de 2011

Lockheed C-130 Hercules

Tipo: transporte militar
Pais de origem: Estados Unidos
Fabricante: Lockheed Martin
Primeiro voo: 23 agosto de 1954
Inicio do serviço: dezembro de 1957
Status: em producão e serviço
Primeiros usuários : Força Aérea Americane, Fuzileiros Americanos e Real Força Aérea
Total produzido: cerca de 2.300 até 2009
Custo unitário: US$ 62 milhões
Ultima versão:  o Lockheed Martin C-130J Super Hercules
General characteristics
Tripulação: 5 (dois pilotos, navegador, engenheiro de voo e encarregado de carga)
Capacidade: 92 passageiros ou 64 paraquedistas ou 74 pacientes com 2 médicos ou 6 pallets ou 3 veiculos Humvees ou 2 tanques M113
Capacidade: 20.000 kg
Comprimento: 29.8 m
Envergadura: 40.4 m
Altura: 11.6 m
Area das asas: 162.1 m²
Peso vazio: 34.400 kg
Carga útil: 33.000 kg
Peso maximo de decolagem: 70.300 kg
Motores: 4 turbo propulsores Allison T56-A-15, com 4.590 cv cada
Velocidade máxima: 592 km/h  a 6.060 m
Velocidade de cruzeiro: 540 km/h
Alcance: 3.800 km
Altitude de serviço: máximo vazio 10.060 m, com 19.000 kg de carga 7.077 m
Razão de subida: 9.3 m/s
Distância de decolagem: 1.093 m com o peso total de 70.300 kg e 427 m com 36.300 kg
Aviônicos: Sistema eletrônico Northrop Grumman AN/APN-241 radar de navegação e meteriológico

   O Lockheed C-130 Hercules é uma aeronave de quatro motores turbohélice de transporte militar projetado e construído originalmente pela Lockheed, agora Lockheed Martin. Capaz de utilizar pistas despreparadas para pousos e decolagens, o C-130 foi originalmente concebido para transporte de tropas, evacuação médica e de carga. A estrutura versátil do C-130 encontrou uso em uma variedade missões, incluindo como arma de ataque com o (AC-130), busca e salvamento, apoio a pesquisa científica, reconhecimento meteriologico, reabastecimento aéreo, patrulha marítima e combate a incêndio. É a principal aeronave de transporte tático para cerca de 69 países, incluindo o Brasil, com cerca de 40 modelos e variantes do Hercules.
   Durante seus anos de serviço, a família Hercules tem participado em inúmeras operações de ajuda militar, civil e humanitária. A família tem a mais longa linha de produção contínua de qualquer aeronave militar da história. Em 2007, o C-130 ficou como a quinta aeronave do mundo, a atingir 50 anos de produção e uso contínuo com seu primeiro cliente, neste caso, a Força Aérea Americana, com o último modelo o C-130J Super Hercules. As outras aeronaves desta lista são o British Eletric Canberra, o Boeing B-52, o Tupolev Tu-95 e o Boeing KC-135 Stratotanker.
Em 2000, a Boeing recebeu um contrato de 1,4 bilhões dólares EUA para desenvolver um kit Avionics Programa de Modernização do C-130. O programa foi cheia de atrasos e custos de reestruturação até projeto em 2007.
   Em 2 de setembro de 2009, foi anunciado que o Programa de Modernização para os mais velhos C-130, no entanto, em junho de 2010, o Pentágono aprovou o financiamento para a produção inicial da AMP kits de upgrade. Um total de 198 aeronaves esperam recursos para tal atualização, o custo atual por aeronave custa cerca de 14 milhões de dólares, embora a Boeing espera que esse preço caia para 7 milhões de dolares por aeronave.
   O Hercules detém o recorde de maior e mais pesada aeronave a pousar em um porta-aviões. Em outubro e novembro de 1963, KC-130F, fez 29 toques na pista do porta-aviões, sendo 21 pousos e 21 decolagens sobre o USS Forrestal. Os testes foram bem-sucedidos, mas a idéia foi considerada de grande risco e cancelada, o Hercules usado no teste, voou até 2005 e agora faz parte da coleção do Museu Nacional da Aviação Naval, em Pensacola, Flórida.
Missões do Hercules: o C-130 foi utilizado na Batalha de Kham Duc, em 1958, um C-130A-II de reconhecimento dos EUA foi abatido sobre a Armênia por MiG-17. Em 1964, C-130 apoiou aeronaves de ataque do Grupo de Operações sobre a trilha Ho Chi Minh, no Laos. Em abril de 1965 a missão foi ampliada para o Vietnã do Norte, onde os C-130 levaram formações de bombardeiros B-57 durante a noite, para reconhecimento das rotas de abastecimento comunista levando a sul do Vietnã. No início de 1966 o C-130 passou a operar a partir da Tailândia, como controlador aéreo, em busca de alvos, e em seguida chamava aeronaves de ataque. Outra missão pouco conhecida do C-130, era a pulverização com de produtos químicos, em algumas partes da Trilha  Ho Chi Minh, no Laos, isto produzia lama e deslizamentos de terra na esperança de tornar as rotas de caminhões intransitáveis.
Em novembro de 1964, do outro lado do globo, C-130Es da 322 Divisão Aérea da França, voou uma das missões mais dramáticas da história no antigo Congo Belga. Depois de um grupo de rebeldes congolês chamados "Simba", levarem os moradores brancos da cidade como reféns, os EUA e os  belgas desenvolveram uma missão de resgate conjunta que usava o C-130 para o transporte pára-quedistas belgas para salvar os reféns.
   Em outubro de 1968, um C-130B lançou duas  bombas M121 de 10.000 kg que tinha sido desenvolvido para o bombardeiro B-36, mas nunca tinha sido usado. O Exército e Força Aérea dos EUA ressuscitaram essa arma, como forma de limpar as zonas de pouso de helicópteros em 1969, embora tambem fossem utilizadas em campos inimigos, bases e outros alvos.
   Depois da República Popular da China ter realizado o seu terceiro teste nuclear em 9 de Maio de 1966, os EUA estava ansioso para obter informações sobre a capacidade chinesa. Após o fracasso do Esquadrão Black Cat para plantar pods sensor de funcionamento junto à Base de Dados de Teste Lop Nur usando um Lockheed U-2, a CIA desenvolveu um plano, chamado Tea Heavy, para implantar um sensor perto da base, sendo duas paletes movidos a bateria, usando um Hercules C-130E, a tripulação de 12 homens, decolou da Base da Força Real Tailandêsa em 17 de maio de 1969, voando por seis horas e meia a baixa altitude no escuro, os paletes de sensores foram lançados de pára-quedas perto de Anxi na província de Gansu, estes sensores enviaram dados para um satélite de inteligência dos EUA por seis meses, até acabar suas baterias, neste periodo os chineses realizaram dois testes nucleares, em 22 de Setembro de 1969 e 29 de setembro de 1969, outra missão foi planejada, mas foi cancelada em 1970. O MC-130 transportou a maior bomba convencional do arsenal americano a BLU-82 "Daisy Cutter" e a GBU-43 / B "Air Blast", também conhecido como MOAB.
   O AC-130 também detém o recorde de vôo mais longo sustentada por um C-130. De 22 a 24 de outubro de 1997, dois AC-130U voaram 36 horas sem escalas da Flórida até a Coreia do Sul, com 7 reabastecimentos em voo, feito por um KC-135.
   Durante a Guerra das Malvinas em 1982, o C-130 da Força Aérea Argentina realizou missões altamente perigosas, com voos noturnos para reabastecimento de tropas argentinas nas Ilhas Malvinas. Eles também realizavam voos de esclarecimento marítimo, nesta missão foi perdido um C-130. A Argentina também operou dois aviões tanques KC-130 durante a guerra e estes abasteciam os A-4 Skyhawk e Dassault-Breguet Super Étendard da Marinha. Os britânicos também usaram o C-130 para apoiar as suas operações logísticas.
   Durante a Guerra do Golfo de 1991 na Operação Tempestade no Deserto, o Hercules C-130 foi usado operacionalmente pela Força Aérea dos EUA, da Marinha dos EUA, o Corpo de Fuzileiros dos EUA, junto com as forças aéreas da Austrália, Nova Zelândia, Arábia Saudita, Coreia do Sul e Reino Unido.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Tupolev Tu-95 " Bear "

Tipo: Bombardeiro estratégico e transporte de misseis intercontinentais
Fabricante: Tupolev
Primeiro voo: 12 novembro de 1952
Inicio do serviço: 1956
Fabricação: até 1981
Total produzido: cerca de 500
Status: ainda em serviço
Primeiro usuário: União Soviética
Variantes: Tupolev Tu-114, Tu-119 e Tu-142
Tripulação: 8 a 13
Comprimento: 53.08 m
Envergadura: 50.00 m 
Altura: 12.12 m 
Area das asas: 311.10 m² 
Peso vazio: 90.000 kg
Peso máximo de decolagem: 185.000 kg
Motores: 4 turbo propulsores Kuznetsov NK-12MP com 14.795 cv cada
Velocidade máxima: 925 km/h - recorde 993 km/h
Velocidade de cruzeiro: 711 km/h
Alcance: 6.500 km - recorde 15.000 km 
Altitude de serviço: 12.000 m - recorde 14.000 m
Armamento: pode transportar até 12.000 kg de armamentos, para auto defesa possui quatro canhões de 23 mm na cauda e em algumas versões em três posições separadas da aeronave.

   O Tu-95 BEAR foi o bombardeiro de maior sucesso produzido pela aviação soviética, durante seu tempo de serviço em uma variedade de funções e configurações. Foi o único bombardeiro no mundo a utilizar motores turbo-hélice, fornecendo grande resistência e alta velocidade, com baixo consumo de combustivel, se comparado com outros bombardeiros pesados.
   O desenvolvimento do TU-95 começou no início dos anos 50, protótipos dessas aeronaves foram desenvolvidas e testadas entre 1949 e 1951, concluiu-se que os bombardeiros com motores a pistão não tinham bom desempenho em missões intercontinentais. A proposta da Tupolev era uma aeronave com quatro motores turbo-hélice com alcance de mais de 13.000 km e velocidades de mais de 800 kmh em altitudes de mais de 10.000 m.
   O desenho das asas se apoiou na experiência adquirida pela Tupolev com o TU-16, as asas do Bear tinham um ângulo para trás de 35 graus, permitindo a colocação de um grande compartimento de bombas, no meio da fuselagem, exatamente no centro de gravidade da aeronave.
   Seus motores consistem em quatro turbo hélices com hélices contrarrotativas, após análise das propostas da Tupolev, em 11 de Julho de 1951, o governo oficialmente aprovou o desenvolvimento do Tu- 95 "Bear", em duas versões foram construídas, uma com oito motores TV-2F em quatro pares e uma segunda versão, com quatro motores TV-12 motores, em 1952, o primeiro protótipo "95 / 1", equipado com 8 motores 2TV-2F, foi construído com uma caixa de redução e com quatro helices contra-rotativas,  cada par podia gerar 12.000 cv de empuxo. O primeiro vôo do "95 / 1" ocorreu em 12 de novembro de 1952, mas em 11 de maio de 1953 durante um voo teste o avião caiu, devido a um incêndio no motor. O segundo protótipo fez seu voo em 16 de fevereiro de 1955, com uma carga de 5000 kg, atingiu cerca de 15.000 km, a uma velocidade de 993 km/h com uma altitude de 11.300 m, a produção em série da aeronave, agora designada TU-95, começou em janeiro de 1956, em Kuibyshev, enquanto os testes de produção ainda estavam em andamento.
   A partir de 1992, as aeronaves Tu-95 adquiridos pela República do Cazaquistão, que faziam parte da Divisão de Aviação de Bombardeiros Pesados, na base aérea de Dolon, foram devolvidos para a Federação Russa, estas se juntaram a outras aeronaves estocadas no aeródromo de Ukrainka, no Extremo Oriente.
   Todos os Tu-95 russos agora em serviço, são da variante Tu-95MS, construído na década de 80 e 90. Em 18 de agosto de 2007, o então presidente Vladimir Putin anunciou que as patrulhas com os Tu-95  seriam retomadas, 15 anos depois de terem sido encerradas. Caças da OTAN foram e ainda são, muitas vezes enviados para interceptar os Tu-95s, que realizaram suas missões ao longo do espaço aéreo controlado pela OTAN, muitas vezes seguidos de muito perto.
   Os Tu-95s da Russia, supostamente participaram de um exercício naval ao longo das costas da França e Espanha em Janeiro de 2008, ao lado de Tu-22M3 Backfire bombardeiros estratégicos e aeronaves de alerta aéreo antecipado.
   Em outubro de 2008, durante um exercício militar russo, um Tu-95MS lançou um missel de cruzeiro Kh-55 Raduga (ALCM) pela primeira vez desde 1984, oque significa que o Tu-95MS Bear foi transformado novamente em um sistema de armas estratégicas. Os Bear ainda estão em uso na Russia e na Ucrânia.
FOTOS: Cockpit, motor, hélices, canhão de cauda, reabastecimento em voo, radar.

domingo, 4 de setembro de 2011

Boeing CH-47 Chinook

Tipo: Helicoptero pesado de transporte 
Pais de origem: Estados Unidos 
Fabricante: Boeing Rotorcraft Systems
Primeiro voo: 21 de Setembro 1961
Inicio do serviço: 1962
Status: ainda em serviço e produção
Primeiro usuário: Exército Americano, Forças de auto-defesa do Japão e Real Força Aérea Holandesa
Produção de 1962 até hoje 
Total produzido: cerca de 1.179
Custo unitário: U$ 35 milhões em 2008
Tripulação: 3 (piloto, co-piloto e engenheiro de voo)
Capacidade: de 33 a 55 soldados ou  24 macas e 3 assistentes ou 12.700 kg de carga 
Comprimento: 30.10 m
Diâmetro do rotor: 18.30 m
Altura: 5.70 m
Area do rotor: 260 m2
Peso vazio: 10.185 kg
Peso carregado: 12.100 kg
Peso máximo de decolagem: 22.680 kg
Motores: 2 turbinas Lycoming T55-GA-712 com 3.750 hp cada
Velocidade máxima: 315 km/h
Velocidade de cruzeiro: 220 km/h
Alcance: 741 km
Alcance máximo: 2.252 km
Altitude de serviço: 5.640 m
Razão de subida: 10.10 m/s
Armamento: 3 pontos para metralhadoras do tipo minigun 7.62 mm (0.308 in) M240/FN MAG, 1 na rampa de carga e 2 nas janelas laterais.
Aeronaves concorrentes: Yakovlev Yak-24, CH-53 Sea Stallion, S-64 Skycrane, CH-54 Tarhe, Mil Mi-6 e o Mil Mi-26
     O Boeing CH-47 Chinook é um helicóptero pesado com dois rotores, em tandem. Sua velocidade superior a 315 km/h faz com que ele seje o helicópteros pesado mais rápido mundo. É um dos poucos aviões dessa era, tais como o C-130 Hercules e Iroquois UH-1, que está ainda em produção e em serviço, com cerca de 1.179 aeronaves construidas. Algumas de suas principais são transporte de tropas, o deslocamento da artilharia e o reabastecimento no campo de batalha. O Chinook possui uma rampa de carregamento larga na parte traseira da fuselagem e de três ganchos externos para carga e nas ultimas versões opção para reabastecimento em voo. Seu projeto data do inicio dos anos 60, sendo projetado e produzido inicialmente pela Boeing Vertol, atualmente o Chinnok é produzido pela Boeing Rotorcraft, sendo vendido a 16 países, entre eles, o Exército Americano e a Real Força Aérea, sendo estes os maiores usuários.
Em 1969, o trabalho sobre o Modelo experimental 347 foi iniciada. Foi um CH-47A com uma fuselagem alongada, com rotores de quatro pás, com asas destacável montado na parte superior da fuselagem entre outras mudanças. Voou pela primeira vez em 27 de Maio de 1970 e foi avaliada por alguns anos.

     Em 1973, o Exército contratou um projeto com a Boeing para um helicoptero pesado, designado XCH-62A, semelhante ao Skycrane S-64, mas o projeto foi cancelado em 1975. O programa foi reiniciado com voos testes em 1980 e novamente cancelado pelo Congresso, sendo finalmente cancelado no final de 2005 no Fort Rucker, Alabama.
No final de 1956, o Departamento do Exército anunciou planos para substituir o Mojave CH-37, equipado com motores a pistão, por um novo helicóptero a turbina. Motores a turbina também foram uma característica de projeto chave do UH-1 "Huey". No entanto, o financiamento para tal projeto, seria barrado pelo Congresso, devido a diferentes pensamentos dentro do proprio Exército alguns pensavam que o novo helicóptero deveria ser de transporte leve e tático destinado a assumir as missões dos velhos helicopteros com motores a pistão, com capacidade de transportar cerca de quinze soldados (um esquadrão), outra parte do Exército pensavam em um novo helicóptero muito maior e capaz de transportar uma peça de artilharia de grande porte e com espaço interno suficiente para levar o novo Sistema de Mísseis MGM-31 "Pershing".

     Em junho de 1958, o Exército dos EUA fez um contrato para uma aeronave sob a designação YHC-1A, com uma capacidade para 20 soldados. A decisão foi tomada para adquirir um helicóptero pesado de transporte e ao mesmo tempo atualizar o UH-1 "Huey" como transporte de tropas tático. O YHC-1A foi melhorado e aprovado pela Marinha Americana como CH-46 Sea Knights em 1962. O Exército, autorizou a pré-produção do Boeing Vertol YCH -1B, seu voo inicial pairando foi em 21 de Setembro de 1961. Em 1962, o HC-1B foi redesignado como CH-47A nos Estados Unidos.
Em um exercício de treinamento da Marinha Americana, em julho de 2008, o CH-47 foi batizado como "Chinook" em alusão ao povo Chinook do Noroeste do Pacífico, o CH-47 é equipado com dois motores de turbina, montado em cada lado das extremidades do helicóptero e conectado entre eles por cardans, os primeiros modelos eram equipados com motores de 2.200 cavalos de potência. Os rotores contra-rotativos eliminam a necessidade de um rotor anti-torque vertical, permitindo que todo o força dos motores, sejam utilizados para decolar e empuxo, esta capacidade torna o helicoptero menos sensível a mudanças no centro de gravidade, importante durante a elevação de cargas. Se um motor falhar, o outro pode dirigir ambos os rotores, devido a conexção entre eles. O "tamanho" do Chinook estava diretamente relacionado com o crescimento do Huey e insistência estrategistas do Exército ", para o papel principal do helicoptero, para ataques rápidos e com força total. ficando está capacidade nos Hueys e Chinooks, com a responsabilidade pela aceleração do seu esforço de mobilidade aérea, da guerra atua. Tendo em vista que participou de varios conflitos pelo mundo como a Guerra do Vietnã pelos Estados Unidos, Irã-Iraque pelo Irã, Guerra das Malvinas por ambos os lados e Guerra do Iraque e Afeganistão.

Videos de aviões

Loading...